Share |

Sobre: Iniciativas dos Deputados

Setembro 13, 2016

Para o BE, a atual situação na ria de Aveiro é "uma ameaça a um ecossistema que é único" e que o adiamento do desassoreamento "está a prejudicar os mariscadores e trabalhadores da pesca artesanal”, com a queda na produção de bivalves e as dificuldades na navegabilidade, uma vez que "os pescadores só podem usar os barcos quando a maré está muito alta ou correm o risco de encalhar". O prejuízo alastra ao setor do turismo, pois os operadores  "não podem aproveitar todo o potencial da ria enquanto polo de atração e estão assim impedidos de captar mais visitantes para a sua atividade". Face à gravidade da situação, o BE apresentou um projecto de resolução para o desassoreamento da ria de Aveiro. ler aqui 

Junho 30, 2016

A todas as crianças é reconhecido o direito ao repouso, aos tempos livres e a participar em jogos e atividades recreativas próprias da sua idade, devendo os Estados respeitar e promover estes direitos bem como o acesso em condições de igualdade (Artigo 31.º). Às crianças com deficiência é assegurado o direito a uma vida plena e decente em condições que garantam a sua dignidade, favoreçam a sua autonomia e facilitem a sua participação ativa na vida da comunidade.Uma parte essencial do desenvolvimento da criança passa pelo direito a brincar, como a própria Convenção reconhece. Para que tal direito se possa concretizar, o Estado, por via dos seus órgãos, deve promover condições que permitam a efetivação desse direito, seja em parques infantis, jardins, parques recreativos ou outras infraestruturas de apoio à infância. Os deputados do BE, José Falcato e Moisés Ferreira, questionaram todas as Câmaras Municipais do distrito de Aveiro. ler aqui 

Junho 30, 2016

O BE teve conhecimento que actualmente os comboios que circulam na linha do Vouga, entre Oliveira de Azeméis e Espinho não estão a cumprir os horários, chegando a ter atrasos de cerca de uma hora e que não raras vezes as viagens são suprimidas. Esta situação está a criar muitos transtornos juntos dos passageiros. Sabemos que actualmente há comboios que não têm carruagens suficientes para conseguir transportar todos os passageiros, tendo os comboios ficado lotados em vários horários, deixando inclusivamente passageiros nos apeadeiros e nas estações. Esta situação é no mínimo estranha, quase bizarra, e bastante reveladora da forma laxista como esta linha está a ser gerida. O deputado do BE, Moisés Ferreira questionou o governo. ler aqui

Junho 7, 2016

Tornou-se público que o serviço de urgências deste hospital tem sido cada vez menos procurado pelos utentes; ao Bloco de Esquerda chegou a informação de que o CODU estará a enviar todos os utentes para o Hospital São Sebastião, em Santa Maria da Feira, ignorando o Hospital de S. Miguel, o que explica a quebra na procura por este serviço de urgências. A confirmar-se esta informação, há várias explicações que são devidas: quem ordenou este envio exclusivo para um hospital com SUMC, ignorando um outro com SUB? Existe a intenção de rever a rede de urgência e emergência, eliminando-se o SUB de Oliveira de Azeméis? Se não é esse o caso, por que razão as ambulâncias deixaram de levar os utentes a Oliveira de Azeméis? Face à gravidade da situação, o deputado do BE Moisés Ferreira, exigiu esclarecimentos por parte do Ministério da Saúde. Ler aqui

Maio 23, 2016

O hospital faz apenas a primeira de 3 ecografias necessárias, sendo que as restantes duas ecografias são efetuadas em locais convencionados. Acontece que as grávidas, para a realização das restantes ecografias, têm que se deslocar ao Porto, a Coimbra ou a S. João da Madeira, os concelhos mais próximos onde existem convencionados para este tipo de meio complementar. Face a isto, o deputado do BE, Moisés Ferreira questionou o governo. ler aqui

Maio 20, 2016

Pelo que nos foi dado conhecimento, os processos disciplinares estão a instalar um clima de medo e de terror junto dos trabalhadores, abrindo caminho à discricionariedade e à prepotência por parte da administração Face à gravidade da situação, o deputado Moisés Ferreira questionou o governo. Ler aqui 

Abril 7, 2016

Sessão Pública ( aberta a tod@s ) | 21.15h | 9 de abril
Tudo o que sempre quiseste saber sobre o Bloco e nunca tiveste coragem de perguntar.
Com o deputado pelo círculo de Aveiro Moisés Ferreira, na  Biblioteca Municipal de Águeda

Abril 3, 2016

O Bloco de Esquerda visitou o hospital de Espinho, e constatou que o Hospital de Espinho tem cerca de 30 camas que até há pouco tempo integravam a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI), enquanto camas para convalescença. No entanto, esta Unidade foi encerrada no final de 2014, e as camas deixaram de ser protocoladas. Apesar de o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia e Espinho ter optado por não encerrar esta ala, a verdade é que estas camas estão a ser subutilizadas, sendo verdade também que estas camas se tornam muito necessárias para reforçar a RNCCI. Face a isto o deputado do BE, Moisés Ferreira questionou o Ministério da Saúde. Ler aqui

Março 31, 2016

A situação mais grave é a dos postos daquela força de segurança em Oliveira de Azeméis, Águeda, Anadia e Oliveira do Bairro, onde a degradação é tal que chega inclusivamente a chover no interior dos postos. Por esse motivo, os militares da GNR destacados nestes locais vêem-se forçados a ocupar parte substancial do interior dos seus postos com baldes e bacias de forma a evitar a degradação ou destruição de alguns dos seus objetos e instrumentos de trabalho. Para o BE, a falta de condições nos postos da GNR é inaceitável e atentatória da dignidade profissional dos militares da GNR. Os deputados do BE, Sandra Cunha e Moisés Ferreira, querem respostas imediatas por parte do Ministério da Administração Interna a esta grave situação. Ler aqui as perguntas feitas ao governo.

Março 31, 2016

O parlamento discutiu e aprovou hoje uma proposta do Bloco de Esquerda para que se procedesse à passagem para a gestão pública e integração na rede nacional das 30 camas de cuidados continuados por utilizar no centro de saúde de Vale de Cambra. Este projecto de resolução foi aprovado com os votos do BE, PEV, PCP, PS e CDS. O PSD votou contra. ler aqui a proposta aprovada