Mupi Troika

Oliveira de Azeméis

Oliveira de Azeméis
Dezembro 22, 2017 02:09 PM

A representante eleita pelo Bloco de Esquerda Helena Oliveira, na Assembleia de Freguesia da União das freguesias de Pinheiro da bemposta, travanca e palmaz, apresentou uma recomendação para a necessidade de Inventário de materiais, ferramentas, utensílios e equipamentos e uma moção para a publicação de toda a informação relativa à Junta e Assembleia de Freguesia no sítio oficial da Junta de Freguesia. Ambas as propostas do Bloco foram aprovadas por unanimidade. Ambas as propostas do Bloco foram aprovadas por unanimidade na Assembleia de Freguesia realizada no dia 21 de dezembro.  Ler aqui a recomendação. ler aqui a moção

Oliveira de Azeméis
Junho 30, 2013 09:50 AM

O cabeça de lista do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Oliveira de Azemeis é Diogo Barbosa, tem 23 anos. Reside em Cucujães. Apesar de jovem tem uma larga experiencia nas lutas sociais, sendo estudante na universidade de Coimbra. Diogo Barbosa pretende devolver a autarquia aos cidadãos, criando mecanismos de rigor, transparência, colocar Oliveira de Azemeis nos caminhos da modernidade, apostar no ambiente, qualidade de vida, na educação, no crescimento cultural, no desporto para todos, no combate à pobreza e à exclusão social. O show-off, colocou o concelho na cauda do desenvolvimento. O atual executivo abandonou a população. A área social será o centro de ação desta candidatura.

Opinião

Um dos instrumentos que mais tem contribuído para o afastamento dos estudantes do ensino superior é a propina. Foi durante o governo de Cavaco Silva, em 1992, que o valor da propina aumentou abruptamente. Se durante o ano letivo 1991/1992 o seu valor era de 6,5€ os estudantes a frequentar ensino superior viram a propina subir para cerca de 250€

O antigo deputado da Assembleia Municipal de Aveiro pelo CDS, também refere que “não faltam políticas sociais promovedoras de integração social”. Queria então entender onde é que a centralização dos serviços públicos e a falta de transportes até este centro, encaixa no que o próprio referiu. Como é que os (escassos) 300 mil euros atribuidos para a ação social em Aveiro se transformaram em 13 mil euros executados? Onde é que o prazer da direita em privatizar o que é serviço público, a nível nacional e nível local, promove integração social?