Share |

O envelhecimento em Aveiro

O envelhecimento em Aveiro

No municipio de Aveiro é conhecido que a população é envelhecida. Estudos de ambito nacional confirmam que o número de idosos tem aumentado - hoje em dia por cada 135 idosos existem 100 jovens. O que é feito em relação a isso? As pensões, que são garantidas a pessoas que trabalharam uma vida inteira, são reduzidas com a desculpa de que a população é envelhecida por isso grande parte dos gastos daí advêm. Idosos que vivem sozinhos e isolados por todo o país, que têm falta de transportes e apoios sociais, são ainda mais injustiçados com a redução daquilo que é deles por direito. Uma faixa etária que necessita de mais cuidados de saúde do que as restantes é esquecida e abandonada.

Face a este contexto, as politicas autárquicas são decisivas no combate a este problema.  Focando o assunto em Aveiro, e nas politicas em vigor da responsabilidade dos sucessivos executivos do PSD/CDS, mas também do PS, é fácil reparar que não têm sido tomadas medidas para resolver e mitigar este problema. A privatização dos transportes é um bom exemplo de uma politica completamente errada que agrava a situação.  Não só a população em geral paga mais por menos serviço público de transportes, para que uma empresa privada, que não tem como objetivo servir a população, mas sim lucrar, cresca. Como também veio trazer dificuldades de deslocação a muita da nossa população envelhecida que vive na periferia, em coisas tão banais, mas tão importantes do dia a dia como ir a consultas médicas, levantar as pensões e reformas, ou as visitas aos vários serviços como a segurança social ou as finanças que se encontra centralizados nos centros urbanos, agravando os problemas de isolamento e solidão que muitas vezes assolam a população mais envelhecida.

As politicas municipais de ação social da direita em Aveiro que no ano de 2017, atribuiram cerca de 300 mil euros para esta área (escassos ainda assim), são totalmente insuficientes para responder a situações de carência e isolamento desta faixa da população. Acontece que apenas 13 mil euros do total previsto para ação social, foram executados. Como é que existe uma cidade em que tal acontece? Para onde foi o dinheiro quando existe toda uma população necessitada? Aveiro precisa de cortes, mas não no que toca aos apoios à população.

Uma população envelhecida é ainda aproveitada como estratégia na privatização. A possibilidade de nós descontarmos para bancos privados e seguradoras privadas é uma forma de aproveitamento do nosso dinheiro. Dinheiro usado para gerar lucros em privados e não em ação social. O Bloco de Esquerda apela, e com razão, há necessidade da nacionalização da banca. Defende medidas que dão mais direitos a todas as faixas etárias, direitos conseguidos pelo investimento público, sendo que é o único partido que apresentou e que tem apresentado propostas capazes de responder aos problemas desta faixa da população. Desde a luta contra a privatização dos transportes à preocupação com o pouco que é gasto a serviço do povo.

Em Aveiro não é necessário um presidente que nege ajuda à população e preencha esse vazio com luzinhas de Natal. Aveiro não precisa de tornar o centro num oásis e colocar obstáculos para quem mora na periferia ficando cada vez mais isolada e sem mobilidade. É vital a criação de transportes públicos eficiêntes e focados no seu único objetivo (servir a população), bem como uma verdadeira política de ação social, capaz, bem gerida e suficientemente capitalizada para responder com eficácia aos problemas de carência e isolamento da população idosa. São as pessoas que fazem a cidade, e elas estão a ser prejudicadas com as políticas de Ribau Esteves.