Share |

CTT de malas aviadas para as mãos do poder económico

CTT de malas aviadas para as mãos do poder económico

O Bloco de Esquerda esteve nesta quarta-feira em frente ao balcão dos CTT de Anta, Espinho, para denunciar aquilo que é o plano de encerramento de centenas de balcões dos correios por todo o país, incluindo aquele situado em Anta.

Depois de ter tido informações sobre a intenção de encerramento deste serviço público essencial para a Freguesia e para o concelho, o Bloco de Esquerda já deu entrada com uma pergunta ao Ministério da Economia e do Emprego através do seu deputado Pedro Filipe Soares, exigindo esclarecimentos sobre a situação.

Para o Bloco, a concretizar-se o encerramento a população será punida com mais este desaparecimento de um serviço público de proximidade, lembrando que muita população (essencialmente a idosa ou a mais excluída socialmente) utiliza os balcões dos CTT para levantar as suas pensões de reforma, de invalidez, o RSI, etc., assim como para fazer pagamentos de bens e serviços. Inclusivamente, muitos idosos fazem a sua prova de vida nos balcões dos CTT, de forma a poder continuar a auferir das suas pensões. O desaparecimento deste serviço punirá esta população, obrigando-a a deslocações maiores, maiores gastos e mais complicações no seu dia a dia.

Perante este cenário de mais encerramentos impostos por um governo fanatizado pela austeridade e numa altura em que a troika decidiu voltar a aterrar em Portugal, o Bloco de Esquerda aproveitou o momento para enviar um postal ao chefe de governo e à troika.

Segundo os bloquistas, “está muito na moda escrever cartas à troika. O PS e o PSD estão constantemente a escrever-lhe cartas de amor e juros de cumprimento dos seus caprichos. O Bloco de Esquerda também escreve à troika, mas em vez de ser uma carta de amor é uma carta de despedida”. Isto porque, para o Bloco, não é possível o país sair da situação em que está mantendo as mesmas políticas de austeridade, logo, é necessário que a troika se vá embora e nunca mais volte.

Na carta que os bloquistas endereçaram à troika pode ler-se:

“Caros Passos Coelho, Paulo Portas, Vítor Gaspar, Durão Barroso, Mario Draghi, Christine Lagarde, Abebe Selassie, e outros que tais,

Não é que Portugal não seja hospitaleiro como se diz, ou que não gostemos de ser visitados regularmente e com frequência por pessoas de várias nacionalidades que escolhem o nosso país para estadias longas em hotéis na capital.

Compreendemos esse interesse… Portugal tem óptimo tempo, boas paisagens, uma boa gastronomia, produz bom vinho… Mas compreendam também que não gostemos que nos ponham a pão e água.

Vocês, que tanto visitam Portugal, percebem que nos últimos tempos o nosso país tem vindo a sofrer com múltiplos problemas: existe mais desemprego, mais famílias a entregar a sua casa ao banco, mais pessoas a deixar de comprar medicação por não ter dinheiro; há cada vez mais crianças a ir para a escola com fome e cada vez mais idosos que não vão às consultas por causa das taxas moderadoras. Há cada vez mais serviços públicos a encerrar e os hospitais vivem em constante rutura de stocks de medicamentos. Hoje existem mais pobres e menos apoio, mais fome e menos salário, mais dificuldades e menos estado social.

Não podemos deixar de pensar que os responsáveis são todos vocês, o fanatismo que mostram para com a austeridade e o desprezo com que tratam as pessoas, por isso compreendam se não vos endereçamos uma carta de amor ou de juras de cumprimento dos vossos caprichos.

Esta é, isso sim, uma carta de despedida. Para que possamos voltar a viver é preciso que não nos voltem a incomodar com as vossas visitas ou com as vossas mezinhas económicas.

Até nunca,

Bloco de Esquerda”

AnexoTamanho
espinho_ctt.pdf301.56 KB