Share |

Salários em atraso em empresa corticeira

Salários em atraso em empresa corticeira

Chegou ao conhecimento do Bloco de Esquerda que a empresa corticeira “20 linhas transformação de cortiça”, situa-se na zona industrial do Pousado, Rio Meão, Concelho de Santa Maria da Feira, onde laboram outras duas empresas: A Cork Link e a DiscoRolhas.

Estas três empresas laboram no comércio, produção e transformação de cortiça e os seus administradores têm relações familiares entre si.

Na passada sexta-feira as quatro trabalhadoras da empresa 20 linhas manifestaram-se em frente à empresa reclamando salários de dezembro, novembro e todo o subsídio de natal em atraso.

As trabalhadoras trabalham nesta empresa há cerca de 14 anos. Sabemos que a administração da empresa 20 linhas tentou que as trabalhadoras passassem para outra empresa que labora nas mesmas instalações, mas sem lhes dar o direito de antiguidade, tal como está previsto no código de trabalho.

As trabalhadoras e bem, recusaram abdicar dos seus direitos e a partir dessa altura a empresa começou atrasar o pagamento dos salários, chegando à situação actual.

Temos a informação que neste pavilhão ocorre trabalhos realizados sem vínculo laboral e que esta empresa não cumpre com as normas de segurança e saúde previstas na legislação.

Apesar dos salários em atraso, o dono da empresa continua a demostrar sinais exteriores de riqueza, o que entra em contradição com a narrativa construída por ele que não tem capacidade económica para regularizar os salários em atraso.

Para o Bloco de Esquerda este tipo de prática é intolerável e demonstrativa de uma impunidade total, que revela uma necessidade urgente de rever a legislação laboral.

O deputado Moisés Ferreira já questionou o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Ler aqui

AnexoTamanho
ma.pdf334.53 KB