Share |

Empresa de cerâmica deixa mais de 50 trabalhadores no desemprego

Albergaria-a-Velha – empresa de cerâmica deixa mais de 50 trabalhadores no desemprego

O Bloco de Esquerda teve conhecimento que a empresa de cerâmica, Maiólica - Fabrico E Comércio De Louça, Lda, empresa situada na zona industrial de Albergaria-a-Velha (Arruamento D), está sem condições para laborar, devido a vários incumprimentos por parte da empresa para com os seus fornecedores.

Hoje de manhã os trabalhadores apresentaram-se ao trabalho, mas como a empresa que fornece o gás teve de proceder ao corte do fornecimento devido ao acumular de dívidas, a empresa não consegue laborar.

Já no ano transacto, esta empresa teve um corte no fornecimento de electricidade por incumprimento nos pagamentos.

Nesta empresa laboram mais de 50 trabalhadores, que sempre deram o seu máximo em prol da empresa, mas que agora ficaram sem condições para continuar a trabalhar, por incapacidade da administração para gerir a empresa.

Esta empresa tem os salários de janeiro em divida a todos estes trabalhadores. Mais os dias de fevereiro.

Relembramos que há dois casais, que ambos trabalham nesta empresa, que estão completamente desprotegidos, pelos salários em atraso e sem perspectivas de futuro devido ao estado desta empresa.

Segundo apuramos, esta empresa não cumpre com a legislação de segurança e saúde no trabalho. O que é bastante grave e demonstrativo da forma leviana como estava a ser gerida.

Foi também relatado aos representantes do Bloco de Esquerda, que durante a madrugada de hoje, terão desaparecido de dentro das instalações da empresa vários moldes. Segundo apuramos, vários trabalhadores alertaram a administração para o ocorrido, mas no entanto não são conhecidas quaisquer diligências por parte da administração para tentar apurar o que aconteceu.

Segundo apuramos, a sócia – gerente da empresa, terá prestado declarações à Comunicação social, onde afirma que a administração da empresa vai solicitar a insolvência.

Relembramos que está empresa teve sempre uma vasta carteira de encomendas e trabalho nunca faltou.

Para o BE, esta situação demonstra a necessidade de uma mudança na legislação laboral que efectivamente proteja quem trabalha e puna fortemente os administradores que por incúria e laxismo destroem as empresas. Urge justiça na economia e protecção para quem trabalha e produz neste país.

Perante uma situação que pode culminar no desemprego de 50 pessoas é preciso a intervenção dos organismos competentes para averiguar as razões desta insolvência e se ela foi motivada por má gestão da sua administração. É preciso ainda que se acautelem, desde já, todos os direitos dos trabalhadores, impedindo a retirada de material e a descapitalização total da empresa.

Por isso o Bloco de Esquerda já fez chegar o caso ao Governo e pretende uma rápida intervenção do mesmo. Os trabalhadores devem ser defendidos, os seus salários e as indemnizações devidas devem ser imediatamente pagas e a empresa deve explicar o porquê de abrir uma insolvência quando, tanto quanto se sabe, tem uma carteira de clientes e encomendas mais do que suficientes para continuar a laborar.

Os deputados do BE, Moisés Ferreira e Nélson Peralta, questionaram hoje mesmo o governo. Ler aqui

AnexoTamanho
ceramica.pdf636.92 KB