Share |

BE contra homofobia na escola secundária de Vagos

Na Escola Secundária de Vagos duas alunas terão sido vistas a beijarem-se por uma funcionária da escola. Em resultado terão sido chamadas à direção da escola onde terão sido informadas que não se podem beijar em público porque isso “incomoda pessoas”. A atuação da direção da escola visou especificamente a orientação sexual das alunas.

Os alunos da Escola Secundário de Vagos realizaram hoje um protesto contra a homofobia e contra a presente situação em concreto, dando assim expressão aos valores da Escola Pública e da República Portuguesa. De acordo com os relatos de alguns alunos e alunas, a polícia terá sido chamada e os estudantes ameaçados de processo disciplinar.

O número 2 do artigo 13.º da constituição da República estipula que “ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual”.

A situação descrita é bastante grave pelo que é necessária uma rápida averiguação e intervenção das entidades competentes.

Os deputados, Moisés Ferreira e Joana Mortágua exigem uma intervenção urgente do governo. ler aqui

AnexoTamanho
me1.pdf414.21 KB