Share |

Ajustes diretos ainda são secretos

Ajustes diretos ainda são secretos

Exigir transparência nos ajustes diretos não é propaganda politica nem se trata de lançar insinuações. Exigir transparência e pedir explicações e responsabilidades às autarquias é um dever cívico que compete a todos nós cidadãos.

Não é verdade que uma autarquia gere dinheiro público? Não é verdade que a forma como as autarquias gerem o dinheiro que é de todos deve ser fiscalizada, pelos cidadãos em primeiro lugar? Então, porque razão não querem que os cidadãos saibam onde, a quem e por que razão contrataram determinado serviço ou fizeram determinado ajuste direto?

A verdade é que a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira continua a utilizar, de forma recorrente e sucessiva, a figura do ajuste direto. Continua também a recusar as propostas – por exemplo, do Bloco de Esquerda – que quer que a Câmara seja clara e transparente, tornando públicas todas as informações sobre esses ajustes.

Seria de esperar que depois da operação ajuste secreto, que abalou fortemente a credibilidade dos autarcas, se alterasse o comportamento e se adoptassem medidas para que tudo se tornasse mais claro e transparente. Mas infelizmente não. Bem pelo contrário.

Quando são confrontados com a opacidade que existe por falta de documentação, quando se exige que se explique a todos os contribuintes os motivos e as razões pelas quais optaram por uma empresa em detrimento de outra, não respondem e optam por choramingar. Choramingam, acusando quem quer transparência de levantar um manto de insinuações. 

Os critérios pelos quais um executivo camarário opta por um ajuste directo a uma empresa, seja ela qual for, devem ser detalhadamente explicados e devem ser públicos. Por exemplo, devem estar no site da autarquia para que todos os cidadãos os possam consultar.

Quem não deve não teme, muito menos choraminga.

Neste debate, o que se percebe é que se há uns que querem esconder, também há quem queira esclarecer! E por isso é que o Bloco de Esquerda continuará a propor que sejam divulgados todos os factos e informações sobre os ajustes e contratações que o município de Santa Maria da Feira faz com o dinheiro dos contribuintes.

Os contribuintes têm direito de saber como é gasto o seu dinheiro e porque motivo é gasto.